Homem matou motorista de aplicativo em MS por ele ter sido gentil com a mulher do assassino, diz polícia

Igor Cesar de Oliveira, suspeito do crime — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil divulgou o nome e a foto do suspeito, trata-se de Igor Cesar de Oliveira, de 22 anos. Ele está foragido.

A Polícia Civil divulgou na tarde desta terça-feira (14) o nome do suspeito de ter assassinado o motorista de aplicativo Rafael Baron, de 24 anos, na noite de segunda-feira (13) no Jardim Campo Nobre, região sul de Campo Grande. Trata-se de Igor Cesar de Oliveira, de 22 anos.

Igor tem passagem por roubo e é procurado. A polícia acredita que a arma utilizada no crime ainda está com ele. De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Ricardo Bernardinelli, o motorista de aplicativo foi morto por um motivo banal. Igor voltava de um posto de saúde com a esposa grávida quando o crime ocorreu.

“O motorista viu que ela estava com uma tipóia no braço e perguntou o que tinha acontecido, ela esclareceu que foi um acidente, ele perguntou como tinha sido o acidente, ela disse que estava sozinha, que foi de moto. Isso foi suficiente, segundo nossas testemunhas, para que o autor mudasse o semblante dele e passasse a ter outro comportamento”, explicou o delegado.

Rafael foi morto assim que chegou no condomínio em que o casal mora.

“Enquanto a mulher fazia o pagamento da corrida, o Igor saiu rapidamente do veículo, pulou a janela do apartamento e já retornou com a arma de fogo, acreditamos que seja um revolver calibre 38, e sem dar nenhum tipo de chance para a vítima efetuou dois disparos a queima roupa”, completou.

Rafael Baron morreu com dois tiros enquanto trabalhava — Foto: Redes sociais/Reprodução

Entenda o caso

Rafael foi atingido por dois tiros. A mãe dele, Regina Baron, publicou em sua página no Facebook. “É com enorme pesar que venho comunicar o falecimento do meu filho amado! Rafael Baron. Foi assaltado e reagiu ao assalto!”

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram chamados, mas, o jovem morreu no local. Do carro dele saiu fumaça na parte do motor e moradores do condomínio tentaram ajudar.

“Meu marido viu fumaça do lado de fora e saiu correndo para ajudar, para ver quem era. Foi aonde ele viu esse motorista agonizando. Tentamos ajudá-lo, o carro ficou ligado […] Infelizmente não deu tempo de ajudá-lo”, relata uma moradora, que conta ainda que o barulho da batida nos veículos foi alto. “Foi um enorme susto, foi muito alto o barulho”, disse a testemunha.

No condomínio onde ocorreu o crime há câmeras de segurança, porém, nenhuma delas estava funcionando.

Créditos G1