Gasolina é até 50 centavos mais barata para pagamento à vista na Capital

Frentista abastecendo veículo na Capital. (Foto: Kisie Ainoã)

Pesquisa foi realizado pelo Procon, nesta quarta-feira (06)

Pesquisa realizada pelo Procon–MS (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) nesta quinta-feira (06) identificou variação de até 50 centavos no preço da gasolina, se comparado os valores para pagamento à vista ou a prazo nos postos de combustível da Capital.

O levantamento apontou que que o menor preço à vista da gasolina comum foi de R$ 3,698 e o maior de R$ 3,999, com diferença de R$ 0,30 e variação de 8,14% entre os respectivos preços.

Nos preços praticados a prazo, o menor e maior foram, respectivamente, R$ 3,779 e R$ 4,199, gerando uma diferença de R$ 0,42 e variação de 11,11% entre eles. Ao calcular a diferença do menor preço à vista e o maior preço a prazo, ficará ainda maior em relação ao item anterior, sendo de R$ 0,50 e variação de 13,55%.

Também foram consultados os preços do diesel comum e etanol. No diesel o menor preço à vista foi de R$ 3,319 e o maior preço de R$ 3,699, gerando uma diferença entre eles de R$ 0,38, correspondendo uma variação de 11,45%.

Em relação aos preços a prazo (pagamento com cartão de crédito, parcerias e convênios) o menor e o maior preço foram, respectivamente, R$ 3,399 e 3,920, ocasionando uma diferença de R$ 0,52, correspondendo a uma variação de 15,33%.

A comparação entre o menor preço à vista e o maior preço a prazo, aumentará a diferença para R$ 0,60, correspondendo a variação de 18,11%.

Em relação ao etanol, a diferença entre o mais barato e o mais caro é menor comparado aos combustíveis diesel comum e a gasolina comum, devido à pequena demanda sobre o produto ofertado.

O menor preço à vista é R$ 3,159 e o maior R$ 3,386, sendo a diferença entre eles de aproximadamente de R$ 0,23, com a variação de 7,18%. O menor e o maior preço do Etanol vendido a prazo são: respectivamente, R$ 3,199 e R$ 3,499, estabelecendo uma diferença de R$ 0,30 entre eles, mostrando uma variação de 9,38%.

Créditos Adriano Fernandes